quarta-feira, outubro 27, 2004

045


Lisboa, 2004Jun

deve ser fácil verificar a data desta. não é todos os dias que portugal joga uma final de um campeonato da europa de futebol.

sexta-feira, outubro 22, 2004

quinta-feira, outubro 21, 2004

041


Serra da Freita, 2004Jun (suspiro...)

obviamente encenada. na altura em que a mostrei aos envolvidos chamei-lhe "instant family sampler 2004" por três razões:

i) é estrangeiro, e fica sempre bem;
ii) tem uma espécie de código anual, que lhe dá pinta de "vintage";
iii) esta, lamentavelmente, não posso revelar: ia estragar a foto.

quarta-feira, outubro 20, 2004

040


Serra da Freita, 2004Jun (desisto...)

estava eu com alguns amigos fotógrafos piquenicando quando um rebanho de cabras passou uma crista e cruzou calmamente à nossa frente. o pastor apareceu pouco depois, bebeu algum vinho, comeu uma bucha e levou outra. deixou-se fotografar.

segunda-feira, outubro 18, 2004

038


Moita, 2004SET12 (acho...)

ninguém deixa passar a oportunidade de se engalanar para a procissão da sua terra (ou terras vizinhas).

quinta-feira, outubro 14, 2004

036


Lisboa, 2004JUN26

já aqui pus uma foto do arraial pride. faltaram as fotos a cores, que é quase criminoso não a usar nesse evento.

quarta-feira, outubro 13, 2004

035


Palácio da Pena, SET2004

a paranóia anti-fotográfica começa a instalar-se neste país. para visitar o interior do palácio, além das habituais proibições de uso de flash (compreensíveis face ao dano que a exposição à luz pode causar a certos materiais), temos funcionários que interrogam todos os visitantes e os obrigam a deixar o material fotográfico no bengaleiro. presumo que esta "escalada" de atenção aos ladrões de imagem pretenda preservar o negócio do slide e do postalinho. é óbvia a sua completa inutilidade, face ao progresso e crescente miniaturização das máquinas digitais. felizmente que o exterior ainda permite fotografar livremente - mas por quanto mais tempo?

segunda-feira, outubro 11, 2004

quinta-feira, outubro 07, 2004

031


Palmela, 05SET04

as festas das vindimas, em palmela, são uma boa altura para nos questionarmos sobre a nossa memória colectiva. hoje reconhecemos estes trajes e instrumentos como relíquias de um tempo incerto mas continuamente re-encenado. desde que eles foram, efectivamente, uso (alguma vez terão sido?), já muito decerto se passou e mudou sem que se reconheça a esses tempos intermédios o carácter "vintage" que ameaça atirar para o esquecimento os usos, trajes e instrumentos do nosso próprio tempo.

quarta-feira, outubro 06, 2004

030


Rosário, AGO2004

em alguma fotografia a questão do timing é essencial. não falo do famoso "momento decisivo" de cartier-bresson, mas de coisas bem mais simples, como escolher o momento exacto para recuar face a um bicho destes.

segunda-feira, outubro 04, 2004

029


Rosário, AGO2004

uma largada de touros é uma forma quase inocente de recriar no nosso tempo os ritos de passagem ancestrais, em que o (pretendente a) homem prova o seu valor desafiando a besta. não fosse por alguns atrasados, que insistem em picar o touro para o tornar mais "bestial", e era até engraçado ver como homens feitos, pais de família, se vêem na necessidade de entrar na arena improvisada para provar a sua virilidade. falhanço do modelo social vigente ou resistência desesperada de um certo tribalismo?